29 de abril de 2010

AS CLAVÍCULAS DE SALOMÃO

Salomão havia representado o alfabeto por setenta e dois nomes escritos em trinta e seis selos e é o que os iniciados do Oriente denominam ainda de “as pequenas chaves” ou “clavículas de Salomão”, que fecham o caminho da coluna do meio. Trata-se da chave geral de todos os antigos dogmas religiosos, a chave da Cabala e das Escrituras Sagradas, um alfabeto hieroglífico e numeral que concentra uma série de idéias divinas, gerais e absolutas. O uso desta chave só era conhecido pelos sumos sacerdotes da antiguidade.É um encadeamento de causas e efeitos infinitos onde os princípios referem-se a um número e uma letra e seus significados na criação.


A palavra clavícula " BRIAH' em hebreu significa ferrolho e também fugitivo. Homem aquele que fugiu do Edem e ficou aferrolhado pelo Querubim que guarda a entrada da Porta do Senhor.

Se considerarmos esse alfabeto por setenta e dois nomes escritos e cada nome representado por seus respectivos arcanos maiores e menores, sendo que cada um deles pertence a uma letra, e se combinássemos todas elas, teríamos 231 portas ou combinações ( Merkabah*), as quais cabalisticamente se aproximaram de uma compreensão do universo ou macrocosmos, para o microcosmos.

(*)MERKABAH não significa apenas “carruagem” mas também “combinação” de letras o veículo divino que se manteve oculto durante muito tempo. Todos os judeus religiosos acreditam que Deus criou a Tora antes de criar o próprio mundo e que o hebreu não era somente a linguagem original, se não que cada palavra deste idioma contém a essência da coisa que nomeia e que cada letra deste alfabeto, foi uma construção da Criação.

Os elementos do mundo são os Arcanos Menores, em conseqüência disto toda a criação procede de um único nome. ARCANOS são os anjos e arcanjos creadores de todas as coisas nas vinte duas dimensões vivas, perfazendo um só corpo na unidade do Senhor.

As vinte e duas letras do alfabeto hebreo são constituídas por três mães, sete duplas e doze simples.


- As três mães são os fundamentos que representam “o prato do merecimento “, “o prato da culpabilidade” e “ a balança da lei “, elas são Aleph que domina sobre o espírito, Mem que domina sobre a água e Schin que reina sobre o fogo.

- As sete duplas que são reduzidas em seus opostos pela permutação de suas letras criando a vida e a morte, a paz e guerra, a ciência e ignorância, a riqueza e pobreza, a graça ou abominação, a felicidade ou esterilidade, a liberdade ou escravidão.

Elas são Beth que criou a Lua, Guimel que criou Marte, Daleth que criou o Sol, Kaf que criou a Venus , Phe que criou Mercúrio , Reish que criou Saturno e Tav que criou Júpiter.

As doze simples ou astrológicas serão descritas em futuro texto.

Na cabala entende-se que Deus cria todas as coisas com números, medidas e pesos, sendo, que cada número contém um verbo, mistério e tributo da divindade e da inteligência, sendo que tudo o que existe, existiu o vai existir no universo da natureza e produto do Senhor.

Todas as 22 letras são consoantes, que dependendo de sua pronúncia e aspiração fonéticas poderão ser conjugadas como uma vogal.


O significado vulgar para os nomes das letras hebraicas derivam dos antigos hieróglifos do qual estas letras provem.

Estes significados são ALPEPH(touro), BETH(casa), GHIMEL(camelo), DALETH(porta), HE( xxx), VÔ (gancho), ZAIN(arma), HEITH(cinto), TEITH(serpente), YOD(mão), KAF(palma da mão) , LAMED(aguilhão), MEN(água), NOUM (peixe), SAMECH(cobra), AYIN(olho), PHE(boca), TSARE(casa), QEF(hospício), REICH(cabeça), SCHIN(dente), TAY(sinal).

Quanto ao significado cabalístico subtraído do mundo das idéias estas letras simbolizam e representam 3 sentidos: o material, o espiritual e o valor semântico (transformações sofridas no tempo).

Este alfabeto se subdivide, em três partes que designam: do ALEPH, ao IOD, o mundo angélico - da letra KAFJA a TSADEY as diferentes ordens de anjos que protegem o mundo material e da letra QEF a TAY o mundo dos elementos regidos pelo Espírito Santo.


Sendo todas as letras abençoadas pelo absoluto Ser dos Seres que na combinação do Verbo cria a alma e a vida de todas as criaturas e de todas as coisas deste mundo, cada letra é governada por um anjo, o qual é um raio de um fluxo das virtudes do todo poderoso, quantidades de Deus, que formam as palavras.

As palavras formam as orações e são os Anjos que designados pelas letras e reunidos nas palavras escritas e faladas, realizam as maravilhas que deslumbram os homens comuns.
(Continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua atenção!
Visite também nosso grupo: http://br.groups.yahoo.com/group/ponte_oculta.com/
Paz Profunda!

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.